Usurios pressionam Twitter para criao de ferramenta de denncia contra Fake News


Atualização (16/01/2022) – RB

Após o Ministério Público Federal (MPF) cobrar explicações sobre critérios de entrega do selo de verificação, o Twitter passou a sofrer outro tipo de pressão, desde a manhã deste domingo (16). Usuários lançaram uma campanha para pedir por ações contra a desinformação na plataforma.

Uma série de contas com grande número de seguidores – como as do movimento Sleeping Giants Brasil e do ilustrador Cris Vector – passou a subir a hashtag #FakeNewsMata. A iniciativa requer a criação de uma ferramenta de denúncia contra Fake News no microblog.


Pouco tempo depois do início das publicações, a tag já liderava os Trending Topics do Brasil, com milhares de postagens. No momento de publicação deste texto, ela figurava ainda no TOP 3, com quase 10 mil tweets.

Vale destacar que existe a possibilidade de denúncia de conteúdos no Twitter, por meio da opção “Relatar um problema”. Contudo, entre as alternativas possíveis para assinalar, não há uma que especifique sobre o conteúdo ser uma desinformação.

E aí, você aprova a criação de uma ferramenta para denunciar Fake News dentro do Twitter? Aproveite para deixar sua interação para a gente!

Nesta quinta-feira (6), o Ministério Público Federal (MPF) cobrou explicações do Twitter sobre quais são os critérios usados pela plataforma para conceder o selo de verificação de perfil para determinados usuários acusados de compartilharem Fake News.

Segundo o jornal O Globo, o ofício é assinado pelo procurador Yuri Corrêa da Luz e também pede esclarecimentos sobre as medidas de combate à desinformação que foram adotadas pela rede social. O Twitter tem o prazo de 10 dias para responder.



Fundador do Twitter, Jack Dorsey, acredita que o bitcoin vai substituir o d





Economia e mercado
22 Dez




Coronav





Segurana
25 Ago


A medida do MPF veio um dia após o Twitter ter sido duramente criticado por usuários na própria plataforma e acusado de ser conivente e não combater com rigor Fake News sobre a Covid-19 e as vacinas dentro da rede social.

A campanha #TwitterApoiaFakeNews esteve entre os assuntos mais comentados do dia e aconteceu após a validação do perfil da influenciadora bolsonarista, Bárbara Destefani (conhecida como TeAtualizei), investigada por propagar mentiras na internet.


“Estes fatos recentes demandam apuração, sobretudo diante dos indícios – a serem ainda aferidos em detalhe – de que a postura da plataforma no Brasil seria menos protetiva de seu ambiente informacional do que seria em outros países”, diz o procurador no ofício.

O MPF também citou a inexistência no Twitter brasileiro da opção para denunciar conteúdos desinformativos relativos à pandemia de Covid-19. Em outros países, como os Estados Unidos, os usuários têm acesso a essa opção.

O procurador também pediu que a rede social informe o que está sendo feito para que essa mesma funcionalidade seja implementada por aqui e qual o prazo previsto para que isso aconteça. Por meio de nota, a empresa rebateu as críticas.

Twitter Brasil fala sobre a polmica

Já na noite desta quinta (6), o Twitter Brasil se manifestou oficialmente por meio do perfil de segurança digital da rede social. A plataforma ressaltou sua política contra informações enganosas sobre Covid-19 e apresentou algumas ações feitas.

Texto original (05/01/2022)

A hashtag #TwitterApoiaFakeNews circulou bastante entre os assuntos mais comentados desta quarta-feira (5) após a rede social ser duramente criticada e questionada sobre seu comportamento no combate as Fake News dentro da plataforma.

Usuários afirmam que a empresa está sendo conivente com a divulgação de notícias falsas, ou não está reprimindo esse tipo de postagem com rigor. O selo de “perfil verificado” dado a uma usuária acusada de desinformação incitou ainda mais o debate.



Twitter mostrar





Software
20 Dez




Ciberseguran





Segurana
11 Nov


Verificados

O perfil em questão é o da youtuber bolsonarista, Bárbara Destefani, que é um dos alvos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por disseminação de fake news. Ela possui publicações que questionam a eficácia da vacinas e contra instituições democráticas.

Procurado pelo portal UOL, o Twitter afirmou em nota que fez uma revisão da política de perfis verificados e que o selo azul tem por objetivo confirmar a autenticidade de uma conta e dar às pessoas a certeza de quem está por trás das contas.

Mais desinformao



Outro perfil que provocou indignação nos últimos dias foi o da deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP), que publicou várias suposições e colocou em dúvida a eficácia das vacinas, que comprovadamente reduziram os números de mortes por Covid-19.

A jornalista, fundadora da agência Lupa e colunista do UOL, Cristina Tardáguila, foi uma das que questionaram durante o Twitter por não oferecer uma ferramenta de denúncia de informações falsas sobre covid aos usuários brasileiros.

Twitter rebate crticas

Ao colunista do UOL, Mauricio Stycer, o Twitter enviou uma nota e disse que possui uma política de uso sobre o desinformação e que atua contra conteúdos enganosos relacionados a Covid-19 na plataforma.

A rede social afirmou ainda que está testando, por enquanto nos Estados Unidos, Coreia do Sul e Austrália, a possibilidade das pessoas denunciarem conteúdos que estejam em violação de suas regras sobre informações falsas relacionadas a Covid-19. Porém, a plataforma não informou quando esse recurso vai estar disponível no Brasil.

Qual a sua opinião sobre essa polêmica? Conta pra gente nos comentários logo abaixo!

Twitter

Desenvolvedor: Twitter Inc.

Grátis

Tamanho: Varia de acordo com a plataforma





Source link

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*