Beijing 2022: falhas de segurana so encontradas no app oficial dos Jogos Olmpicos de Inverno


As Olimpíadas de Tóquio mostraram grandes novidades tecnológicas no ano passado e agora é a vez de Pequim com os Jogos Olímpicos de Inverno de 2022 que serão realizados entre 4 e 20 de fevereiro. Agora o Citizen Lab, da Universidade de Toronto no Canadá divulgou um relatório indicando graves falhas de segurança no aplicativo oficial do próximo evento.



Among Us revela novos conte





Android
18 Jan




Xbox: promo





Acessrios
18 Jan


Segundo Jeffrey Knockel, um dos autores do relatório, as falhas de segurança foram encontradas no My 2022, o aplicativo dos Jogos de Inverno de 2022, para iOS.

Os especialistas em cibersegurança ainda afirmam que as falhas surgem após criar um cadastro no aplicativo e que algumas delas também estão presentes na versão para Android do app, embora ainda não seja possível criar uma conta nele. Detalhando um pouco mais, os especialistas dizem que o aplicativo envia dados diretamente para o governo chinês.


O Citizen Lab diz em seu relatório que as falhas não podem ter sido intencionais, pois o governo receberia dados de qualquer forma, então não é necessário interceptar dados.

Entretanto, como essas vulnerabilidades são similares a outras já encontradas em aplicativos chineses, é possível que elas sejam resultado de padrões de segurança defasados utilizados na China, que pode fazer parte de uma iniciativa do governo para coletar mais dados das pessoas.



Twitter registra mais de 2.4 bilh





Economia e mercado
15 Jan




God of War





Economia e mercado
17 Jan


Tudo se torna ainda mais preocupante quando citamos que o aplicativo será de uso obrigatório para todos que participarem do evento, pois ele funcionará como uma central para coleta dos seguintes dados:

  • Planos de Viagem;
  • Dados de identificação pessoal;
  • Detalhes de passaporte;
  • Dados de saúde:

    • Temperatura corporal;
    • Medicamentos em uso;
    • Resultados de testes do coronavírus;
    • Sintomas respiratórios;

Além disso, o aplicativo ainda fornecerá tradução instantânea, bate-papo para usuários, informações sobre transporte público e ainda manter os dados de saúde atualizados durante os Jogos Olímpicos de Inverno de 2022.

Censura dentro do aplicativo

Além disso, o Citizen Lab afirma que encontrou uma lista de censura ainda inativa no arquivo “illegalwords.txt”, que contém diversos termos políticos em chinês simplificado, tradicional, tibetano, uigur com referências ao Alcorão e inglês.

Dentre os termos marcados para censura estão diversos ligados ao massacre da Praça da Paz Celestial, ao Partido Comunista Chinês e ao presidente da China, Xi Jinping. Uma prática comum em aplicativos chineses como uma espécie de censura multicamada.

Boicote diplomtico ao evento

A Citizen Lab afirma que enviou o relatório com as falhas de segurança para o Comitê Organizador de Beijing para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Inverno de 2022 no início de dezembro, mas até agora não obteve nenhuma resposta e as atualizações recentes no aplicativo não solucionaram os problemas. O The New York Times também diz ter entrado em contato, mas o comitê não respondeu aos questionamentos.

Por fim, é interessante dizer que vários países como Austrália, EUA e Reino Unido já anunciaram um boicote ao evento acusando o governo chinês de abusos contra os direitos humanos em diversas formas, inclusive com uma campanha para assimilar grupos turcos muçulmanos que habitam o noroeste da China, em Xinjiang.



Source link

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*