Coronavrus: OMS rebate Boris Johnson dizendo que pandemia est longe do fim


Recentemente o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, declarou que estamos perto do fim da pandemia de coronavírus, dizendo que ela está se tornando apenas mais uma gripe. Hoje a fala foi rebatida por David Nabarro, enviado especial da Organização Mundial da Saúde (OMS) ao Reino Unido.

A fala de Boris Johnson foi a seguinte:

Está chegando um momento em que podemos retirar toda a exigência legal do auto-isolamento, assim como não obrigamos as pessoas a se isolarem quando elas pegam gripe. Conforme a covid-19 se torna endêmica, precisaremos substituir as exigências legais por aconselhamento e orientação, pedindo às pessoas com o vírus que tenham cuidado e consideração pelos outros. É triste, mas as pessoas vão morrer com gripe também.

Sendo assim, o primeiro-ministro concluiu que está chegando o momento de liberar restrições que, até o momento, se mostraram eficazes para evitar a superlotação de hospitais, crise que já foi enfrentada por diversos estados brasileiros e de outros países do mundo.

Nabarro diz que ainda é muito cedo para pensar desta forma, afinal pessoas que ainda não foram devidamente imunizadas podem perecer pela variante Ômicron, que ainda pode gerar futuras mutações mais perigosas do Sars-CoV-2.

O vírus ainda pode sofrer mutações e formas variantes. Temos visto várias e sabemos que ainda pode haver mais por vir, em breve. Então, honestamente, isso não pode ser comparado à gripe ou a qualquer outra coisa – é um vírus novo e devemos continuar tratando-o como algo cheio de surpresas, muito ruim e ardiloso.

Dessa forma, o representante da OMS diz que, embora a variante ômicron seja menos agressiva aos órgãos humanos, é preciso ter cuidado, pois ainda existem outras doenças preocupantes e a lotação de hospitais pode causar a morte de pessoas por falta de leitos para atendimento.

Vale lembrar ainda que algumas pessoas podem sofrer com infecção dupla por coronavírus e H3N2, que é chamada de flurona, podendo levar a maiores complicações em pacientes com baixa imunidade.

Dessa forma, Nabarro conclui dizendo:

Ainda estamos na metade do caminho contra a pandemia. Você vê, o que as pessoas pelo mundo têm visto e reportado à ONU é que o vírus ainda é muito, muito perigoso, especialmente para pessoas que não foram vacinadas e não foram expostas a ele antes.




Que tipos de dificuldades enfrentaremos no caminho? Essas são as questões que nenhum de nós pode responder porque o vírus continua nos desafiando e nos surpreendendo.

Então, a melhor estratégia contra um inimigo que ainda guarda muitos mistérios é ter cuidado e confiar nas recomendações de cientistas, que estão na ponta dos estudos sobre as diferentes variantes do coronavírus enquanto ainda não há uma previsão para o fim da pandemia.

Você conhece alguém que já teve coronavírus? Conte nos comentários.



Source link

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*